Protesto pacífico na Marcha para Jesus em Curitiba – 18/05

blog1Por Elisandra Cavalcante

Ao refletir sobre tudo o que aconteceu hoje chego à conclusão que se eu precisasse resumir a manifestação em uma palavra eu escolheria a palavra OLHARES, pois, enquanto estávamos lá, parados, e de forma pacífica “convidando” as pessoas a se aproximassem para que juntos pudéssemos refletir sobre tudo aquilo que ocorria; os olhares eram os que mais me prendia a atenção. Eu pude ver estampado nos olhos daqueles que se permitiam prestar atenção (ainda que minimamente), olhares cheios de duvidas e certezas, aprovação e reprovação, de amor e de ódio. Eu não posso afirmar o que se passava na mente de cada pessoa, mas eu sei que tentei ao máximo demonstrar pelo meu olhar o amor que Jesus demonstrava em cada uma de suas ações.

Não posso negar, tive vontade de chorar ao perceber olhares julgadores que rapidamente se transformavam em ações exacerbadas de reprovação, tive compaixão por cada uma daquelas pessoas que passavam por lá, queríamos que juntos pudéssemos compartilhar a graça e o amor de Deus em REAL unidade. Queria que elas compreendessem que nós não estávamos defendendo ou julgando uma determinada denominação. Queria que elas soubessem que nós não estávamos questionando a sua fé. Queria apenas que elas entendessem que eu estava lá falando do Jesus que é demonstrado na bíblia e se faz presente na minha vida. O Jesus que eu posso não compreender perfeitamente, mas sei que exalava amor, graça, mansidão e perdão por onde passava. O Jesus a quem sigo e que é minha razão de existência. Apesar do meu desejo, penso que poucos compreenderam a mensagem, mas ainda assim a ação valeu à pena. Continuo crendo na mensagem da CRUZ, e não irei desistir ainda que haja poucos que resistam as vãs filosofias, as falsas teologias e a outras tantas coisas que tem surgindo para maquiar o verdadeiro evangelho.

Gostaria de terminar o meu relato citando um trecho que esta em 1 Coríntios 13: 4-6, um texto que é clichê para a grande maioria dos cristãos, mas tem se perdido na pratica: “O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade.”

Que sejamos envolvidos pelo amor de Deus. Que nós cristãos possamos ser lembrado pela mesma demonstração de amor e graça de Deus para conosco.

Nota: Visite o blog MR3110, onde há o relato dos demais participantes sobre suas experiências na Marcha em Curitiba. Que Deus ampare, guarde, capacite e abençoe a esses homens e mulheres que, com simplicidade e amor cristão, se levantaram para levar a Boa Nova àqueles que estão enredados pelas pesadas cadeias da religiosidade humana.

Voltemos ao Evangelho puro e simples,
O $how tem que parar!

Anúncios
Esse post foi publicado em Igreja e igreja, Igreja e Sociedade, nova reforma e marcado , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s