Receita de prosperidade

SETE_SEGREDOS_PARA_O_HOMEM_FICAR_RICO_1271853457PTexto base: “Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam;
Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam.
Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração.” – Mateus 6:19-21

Estamos no século XXI. Para filósofos, sociólogos e teólogos vivemos dias modernos. Em algumas circunstâncias, alguns autores citam a pós-modernidade. E na modernidade, a palavra prosperidade torna-se a palavra a ser conquistada, seja para o sujeito social, seja para o sujeito religioso.

No universo social, político e econômico, a prosperidade é a diferença entre riqueza e pobreza. No universo religioso, prosperidade é a diferença entre vencedores e derrotados. Nesse sentido, a versão marxista é uma grande idiotice, pois para Marx essa realidade se resume em opressor e oprimido, diferenciados pelo largo abismo da desigualdade.

Porém, o que eu gostaria de refletir nesse artigo é uma visão da prosperidade cristocêntrica. Muitas lideranças, em suas instituições religiosas têm total foco no tema. Seus sermões, suas canções, sua liturgia tem um único tema: prosperar e vencer. E para isso é preciso ser cabeça e não cauda.

Silas Malafaia, em seus sermões, destaca: sua igreja é business, e quem dá dinheiro sem a intenção de receber algo em troca é um idiota. Outro pregador, Jerônimo Onofre, resume seus sermões numa busca desenfreada por riquezas, tendo como ênfase o chamado curso “como ficar rico”.


blog75
Porém, o contexto bíblico vai revelar um grande contraste em meio a essas ideias todas. Podemos dar o exemplo das diversas vezes em que os Evangelhos destacam Cristo trazendo pensamentos extremamente sensatos no sentido de prosperidade.

O primeiro exemplo disso é a passagem do jovem rico (Mateus 19). O jovem citado no texto tinha tudo para ser um exemplo a ser seguido, porém Jesus vai resumi-lo em uma palavra: vende tudo o que tens, dá aos pobres e segue-me.

Outro exemplo é o texto de Lucas 9.58: “E disse-lhe Jesus: As raposas têm covis, e as aves do céu, ninhos, mas o Filho do homem não tem onde reclinar a cabeça”.

Tenho dito nos últimos anos, em meio a tanta ênfase em prosperidade: se prosperidade é o que importa, por que o texto acima faz referência de que Jesus era pobre? Porque já é uma verdade que os diversos ministérios e lideranças que têm como foco a questão da prosperidade, embasada em um sistema de barganhas, onde o fiel dá dez para receber cem, que nesse processo os únicos a enriquecer são as lideranças. E isso não é conclusão minha, mas sim da Revista Forbes, que destacou algumas lideranças brasileiras entre os mais ricos no Brasil e também no mundo.

Algo não está certo em meio a tudo isso. Se as lideranças ficam ricas, por que os membros continuam pobres?

Outro ponto em destaque é que os próprios apóstolos, após a ressurreição de Cristo, continuam a viver em simplicidade. Vários exemplos são descritos no livro de Atos. O exemplo maior vem do próprio apóstolo Paulo, que cita por diversas vezes em suas cartas ser imitador de Cristo, vivendo bem mesmo em tempos de fartura ou de dificuldade, pois para ele o viver era Cristo. Ou seja, seus valores não estavam fixados nos valores do mundo.

Acredito que essa forma de viver era em reflexo ao texto que abre esse artigo, pois o apóstolo Paulo já havia vivido os valores da lei. Porém, após seu encontro com Cristo no caminho de Damasco, ele descobre que o viver dentro de uma essência cristocêntrica é viver além dos valores desta terra.

A Palavra diz que não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus (Lucas 4.4).

O que vemos é uma mistura de mágica, misticismo, uma espécie de lavagem cerebral com o uso de neurolinguística e técnicas, que fazem com que muitas igrejas se tornem verdadeiros picadeiros, onde o texto bíblico é desprezado, onde bases exegéticas e hermenêuticas são desprezadas pelo único propósito de lucrar com os sujeitos religiosos em trânsito no universo religioso.

Eu creio em prosperidade. Porém, creio numa prosperidade embasada em um conjunto de fatores. E o primeiro vem do exemplo bíblico. Não existe prosperidade sem ética, sem trabalho, sem esforço, dedicação, respeito. A prova disso é que nem todo homem rico enriqueceu com algo lícito ou ético, ou com valores religiosos.

Para um sujeito religioso, a prosperidade bíblica é precedida de amor ao próximo, piedade e justiça. Um homem temente a Deus não enriquece para si mesmo, mas faz uso da prosperidade concedida por Deus em prol dos que o cercam, sendo caridoso e usando a dádiva de Deus, fruto de Sua graça, amor e misericórdia, para a transformação daqueles que o cercam.

O exemplo disso era Jó, que quando lhe sobreveio o mal os que o cercavam se indignaram muito mais com o que lhe ocorreu. Isso era em decorrência do testemunho e da bondade de Jó diante dos que o cercavam. A prosperidade de um servo de Deus não se resuma às coisas unicamente materiais, mas está fundamentada no reconhecimento de que nenhum valor monetário deste mundo é capaz de comprar a salvação de um ser humano.

O texto bíblico diz: quanto dará o homem por sua alma? Pois de que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro e perder sua alma (Marcos 8.36)?

Lamentavelmente, muitos dos que seguem os métodos, as fórmulas mágicas, os desafios financeiros se esquecem de olhar para uma das essências do cristianismo que é a Palavra de Deus.

Em Josué 1.8: “Não se aparte da tua boca o livro desta lei; antes medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme a tudo quanto nele está escrito; porque então farás prosperar o teu caminho, e serás bem sucedido.”

Essa palavra tem milhares de anos. Foi uma Palavra de Deus nos primórdios da história de Israel. Se o povo tivesse seguido esses preceitos, não seria necessário em pleno século XXI muitos pularem a fogueira de Israel, depositar dinheiro nos pés de líderes, fazer votos de sacrifício e muitas outras heresias e mágicas dos nossos dias.

Como disse no início deste artigo, que tem por título Receita de Prosperidade, a ênfase aqui é bíblica. Não há fórmulas, pois para um verdadeiro cristão não importa em qual situação financeira estamos. Cristo é sempre o Senhor.

Para encerrar, o texto base para mim, quando a vaidade e os desejos deste mundo me rodeiam:

“Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.” – Mateus 6:33

A Deus toda a glória.

Paulo Siqueira

Publicado em Igreja e igreja, Igreja e Sociedade | Deixe um comentário

5o. Salão Internacional Gospel: O $how tem que parar!

culto1No dia 7 de setembro começará, no Expo Center Norte (São Paulo) o 5o. Salão Internacional Gospel, uma feira de produtos evangélicos com ênfase na música gospel. Desde a primeira edição, os organizadores Luciana Mazza e Marcelo Rebello sempre deram espaço ao Movimento pela Ética Evangélica Brasileira, mesmo contrariando os interesses de algumas das lideranças e empresas participantes. Realmente é um ato de extrema coragem uma feira de negócios religiosos dar espaço a faixas como “Voltemos ao Evangelho puro e simples, o $how tem que parar!”.

E esse ano não será diferente. Estaremos na feira no dia 7 de setembro com nossas faixas e abertos para dialogarmos sobre os rumos que a Igreja Brasileira está tomando. Jesus Cristo não veio à terra para dar riquezas, fama, sucesso e honras ministeriais, mas sim para que até mesmo eu e você tivéssemos acesso à Salvação das nossas almas através Dele.

| Deixe um comentário

Congresso do Renê Terra Nova em São Paulo: O $how tem que parar!

Congresso Estadual M12SP Reforma

rene

E no dia 10 de setembro, no Estádio do Canindé, haverá um congresso do M12SP, do Apóstolo Patriarca Fruto do Útero Ungido Renê Terra Nova. O nome do congresso, ironicamente, é REFORMA (a ironia ocorre porque esse ministério contraria todas as “Solas” da Reforma Protestante, ao pregar uma igreja judaizante e ritualística, com um líder disposto a ser uma espécie de “papa” evangélico). Lá estaremos também, não do lado de dentro, mas do lado de fora. Com nossas faixas, oramos a Deus para que Ele permita que alguns possam dialogar conosco e juntos possamos refletir sobre o verdadeiro Evangelho. Que possamos chegar à conclusão que só há um líder que devemos seguir cegamente: Jesus, o Cristo.

Se você quiser, participe conosco. Basta chegar e se aproximar. Estaremos com camisetas com as frases do movimento e com as faixas com os versículos bíblicos que não são pregados em certos púlpitos para não estragar os negócios. Nosso movimento é totalmente pacífico e tenciona tão somente o clarear de mentes, afinal se Ele nos libertar, seremos livres até para pensar (deixando, assim, de ser massa de manobra de líderes e grupos religiosos).

| Deixe um comentário

Programa Entendes? – O que é ser espiritual

Publicado em Igreja e igreja, Igreja e Sociedade | Marcado com | 1 Comentário

Pecados ocultos: o grande entrave para a ação do Espírito Santo

lobo3“Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que sois semelhantes aos sepulcros caiados, que por fora realmente parecem formosos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos e de toda a imundícia.
Assim também vós exteriormente pareceis justos aos homens, mas interiormente estais cheios de hipocrisia e de iniqüidade.” – Mateus 23:27,28

Antes de iniciar esse artigo, gostaria de expressar que, por um período de tempo, exerci meu ministério pastoral na evangelização de povos marginalizados, em específico detentos, prostitutas, travestis, usuários de drogas e álcool. Um período bastante trabalhoso, que acredito me habilitou a entrar no cerne do grande obstáculo da Igreja e do Corpo de Cristo, que é o pecado oculto.

Lamentavelmente, muitos são os que vivem uma vida aparente em suas comunidades de fé.

Atualmente, uma espiritualidade plena se tornou algo até mesmo vulgar em alguns meios religiosos. A grande dificuldade dos ditos cristãos, e não é de hoje, é conciliar a vida cotidiana com a plenitude da espiritualidade segundo as Escrituras.

Tiago, no primeiro capítulo de sua carta, exorta-nos a não ser meramente ouvintes, mas também praticantes das Sagradas Escrituras.

Diante do caos urbano em que vivemos, não é difícil ver muitos cristãos exercendo, em seu cotidiano, uma vida além dos frutos do Espírito, a que Paulo se referiu em suas epístolas.

Afinal, por que muitos cristãos, por mais que frequentem uma comunidade, por mais que ouçam os sermões, não conseguem viver na prática a plenitude da Palavra?

Primeiro ponto: a vida cotidiana na metrópole é cheia de descaminhos, que nos impulsionam a viver num vício coletivo. E muitos não conseguem impor os seus valores cristãos na sua cotidianidade.

É aquele crente que no dia de trabalho não consegue exemplificar sua fé diante dos maus hábitos e do linguajar deturpado dos que estão ao seu redor. Em pouco tempo, está impregnado dos palavrões, da violência, da sensualidade e da lascívia dos que o rodeiam.

Segundo ponto: a influência cultural.

Num país como o Brasil, temos a cultura da violência, a cultura da discriminação, a cultura do racismo, o menosprezo aos mais pobres, aos mais velhos, à mulher, às crianças, aos deficientes e aos valores religiosos, educativos, políticos e a todo tipo de autoridade. Com isso, os valores cristãos se tornam mais um pequeno valor a ser reverenciado.

Se unirmos o primeiro ponto ao segundo, veremos que a realidade religiosa em muitos segmentos se perdeu diante da chamada cultura popular.

lobo1Mas o ponto central não são os que sucumbem diante dos vícios cotidianos e da cultura popular, mas sim os que aparentemente vivem uma espiritualidade plena, porém no seu interior são totalmente contrários à sua imagem exterior.

A vida moderna na metrópole dispõe aos indivíduos, através da tecnologia e seus meios virtuais, as possibilidades para que o indivíduo possa viver diferentes vidas. Muitos, diante dessa realidade, encarnam diversos personagens. Em casa, é o pai, o esposo respeitador. Na empresa, o profissional fino, recatado, respeitador. Na igreja, o líder, o membro que todos têm por referência. Porém, no trânsito, nas redes sociais, nas ruas escuras ele assume os seus reais personagens.

Esse é o reflexo dos inúmeros pedófilos, estupradores, ladrões, adúlteros, bissexuais, psicopatas e demais perversidades. Muitos são os casos de professores, médicos, dentistas, pastores, padres, policiais que são descobertos em atos jamais imaginados para a prática dessas profissões, que têm como essência a confiança.

Lamentavelmente, o ser humano tem em seu interior um lado obscuro, que muitas vezes nem mesmo os processos religiosos parecem transformar. Dentro do contexto evangélico, isso também não é diferente.

Jesus fez questão de frisar que, no contexto judaico, a prática do pecado oculto era uma realidade. No versículo citado no início, Jesus não poupa palavras para especificar que a prática do pecado oculto deteriora o ser humano de uma forma bastante abrangente, pois para viver em pecado oculto, é preciso deturpar os valores existentes, se aprofundar em uma vida de mentiras, chegando a uma hipocrisia que faz com que todos os valores interiores se deturpem.

O exemplo do sepulcro é bastante abrangente, pois deterioração interior vai levando, aos poucos, a uma vida totalmente doentia.

Para a comunidade de fé, os membros em pecado oculto são totalmente prejudiciais à estrutura, pois paralisam e impedem a ação do Espírito Santo, pois o Espírito Santo não habita em templos impuros. Igrejas nessas condições se tornam engessadas, paralisadas, sem vida. Por isso, o exemplo do sepulcro vem bem a calhar.

Lamentavelmente, em minha vida ministerial gostava muito mais de visitar presídios, casas de prostituição, do que muitas igrejas, pois no presídio eu sabia quem era quem. Uns eram ladrões, outros assassinos, outros estelionatários, etc. Porém, em muitas igrejas não é possível saber quem é quem na sua realidade, pois muitos, por já estar tomados por seus personagens, não conseguem mais tirar a máscara, mesmo estando na igreja.

lobo2Se a Igreja está dessa forma, fica fácil entender o porquê vivemos em uma sociedade onde o caráter, a honestidade, o respeito, o amor ao próximo estão tão superficiais. Lamentavelmente, muitos são os que esfriaram tanto na fé que não conseguem mais voltar ao princípio das coisas.

Muitos pregam, oram, cantam, louvam vivendo um personagem sem o menor temor do Deus vivo.

É triste. Mas a iniquidade tomou conta de muitos seres humanos, que não sabem mais o caminho de volta para uma vida às claras com Deus e Seu Espírito.

A quem quer que esteja nessa situação, a saída é:

ARREPENDA-SE! Confesse o seu pecado e deixe-o, e volte-se para Deus o quanto antes.

Deus é misericordioso e amoroso para com os contritos de coração. Mas Ele é justiça verdadeira para os que querem viver como pedras de tropeço à Sua obra.

“Nesse tempo muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se odiarào.
E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos.
E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará.
Mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo.” – Mateus 24:10-13

 

Publicado em igreja e cotidiano, Igreja e igreja, Igreja e Sexualidade | Marcado com , , | 2 Comentários

Botando fogo na Fogueira Santa de Israel (IURD)

maxresdefault (4)Tenho recebido notícias de pessoas que estão retirando todo o dinheiro do banco e entregando à Igreja Universal do Reino de Deus (IURD). Não apenas dinheiro, mas estão sendo entregues casas, carros, joias, todo e qualquer bem de uma vida. Tal atitude é chamada de “sacrifício de Abraão” pelos líderes dessa denominação, e tal ato teria o poder mágico de trazer à existência os maiores milagres, sejam riquezas, sejam curas ou mesmo restauração de famílias.

Para o Bispo Edir Macedo, líder supremo da IURD, a oferta de sacrifício é tão santa quanto o próprio Jesus Cristo. Duvida que alguém que se diz cristão diria uma barbaridade dessas?

Embora abominavelmente Edir Macedo diga que sua “empreja” enfatiza os dízimos e ofertas por eles serem tão sagrados quanto a Bíblia e tão santas quanto Jesus (ANÁTEMA!!!!), tal empresário da fé falta com a verdade. E é o que pretendemos provar no decorrer deste artigo.

Depósito de todo o dinheiro da poupança de uma pessoa que acreditou na Fogueira Santa. Os dados e valores são ocultados (embora se verifique que foi da ordem das dezenas de milhares) para preservar a vítima de perseguições religiosas.

Depósito de todo o dinheiro da poupança de uma pessoa que acreditou na Fogueira Santa. Os dados e valores são ocultados (embora se verifique que foi da ordem das dezenas de milhares) para preservar a vítima de perseguições religiosas.

Umas 2 vezes por ano, a IURD promove a “Fogueira Santa de Israel”. É uma campanha na qual o fiel tem que entregar para a empreja 100% do que tiver ganho (10% do dízimo obrigatório mais 90% do sacrifício). Caso não dê tudo, é levado a crer que está enganando a Deus e aliando-se ao diabo. O mesmo ocorre se, porventura, der ouvidos a quem quiser lhe alertar sobre essa prática, o que configura a IURD automaticamente como uma seita (uma das características das seitas é fazer lavagem cerebral nos seguidores e os obrigar a não dar ouvidos a mais ninguém, sob pena de punição divina). A recompensa de deus para quem der tudo na IURD são riquezas, cura de doenças, restauração de famílias, o que o fiel quiser.

Recentemente, um vídeo viralizou na internet. Nele, o Bispo Rogerio Formigoni ordena aos fiéis que entreguem na hora seus carros, indo a pé ou de táxi para casa. Essa “prova de fé” foi tão questionada que a IURD passou a perseguir esses vídeos, tirando-os do Youtube. A versão abaixo está devidamente copiada (e os demais vídeos desse artigo também), mas seria interessante que todos os que realmente estão indignados, que venham a copiá-los e a divulgá-los também. A verdade não pode ser calada.

Mas enfim, por que realmente a IURD faz a tal Fogueira Santa? Já que nada tem de sagrada ou de santa…

Se em 2013 Edir Macedo foi citado pela Revista Forbes entre os 5 líderes evangélicos mais ricos do Brasil, em 2014 e em 2015 sua fortuna pessoal extrapolou, permitindo que fosse citado entre os maiores bilionários do Brasil, estando à frente – pasmem! – da herdeira do Banco Itaú (e banco costuma lucrar pouquinho, não é?).

Para quem não sabe, a Rede Record, comprada à custa de muitas Fogueiras Santas e, segundo denúncias de ex-membros, também com dinheiro do narcotráfico, não pertence à IURD. A emissora está em nome de Edir Macedo e sua esposa.

Mas uma emissora é pouco para os delírios de Macedo. Tanto que recentemente se propôs a comprar a Band, ou pelo menos o Canal 21. E adivinha em nome de quem ficariam tais emissoras?

Vejam o depoimento de um ex-bispo sobre como funciona a Fogueira Santa de Israel:

Como esse, há muitos depoimentos. Infelizmente, por desconhecimento bíblico muitos caem na armadilha, pois é grande a lábia dos impostores. Embora coloque o nome de Jesus Cristo na frente de suas catedrais, a IURD nada tem a ver com os ensinos cristãos. Apoia abertamente o aborto e crê num deus mordomo e extremamente mercenário, que só se move às custas de muito dinheiro.

Porém, o que Jesus realmente ensinou?

1o.) Que Ele é o sacrifício perfeito e final, não sendo necessário mais nenhum sacrifício para quem verdadeiramente O segue:

De sorte que era bem necessário que as figuras das coisas que estão no céu assim se purificassem; mas as próprias coisas celestiais com sacrifícios melhores do que estes.
Porque Cristo não entrou num santuário feito por mãos, figura do verdadeiro, porém no mesmo céu, para agora comparecer por nós perante a face de Deus;
Nem também para a si mesmo se oferecer muitas vezes, como o sumo sacerdote cada ano entra no santuário com sangue alheio;
De outra maneira, necessário lhe fora padecer muitas vezes desde a fundação do mundo. Mas agora na consumação dos séculos uma vez se manifestou, para aniquilar o pecado pelo sacrifício de si mesmo.
E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo,
Assim também Cristo, oferecendo-se uma vez para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação.
Hebreus 9:23-28

20.) O sacrifício de Abraão, usado como desculpa para a Fogueira Santa, não se concretizou da forma como a IURD prega. Deus deu um carneiro para ser sacrificado no lugar de Isaque. E a IURD, dá o sacrifício financeiro de volta para os fiéis, conforme a Bíblia que dizem seguir?

E chegaram ao lugar que Deus lhe dissera, e edificou Abraão ali um altar e pôs em ordem a lenha, e amarrou a Isaque seu filho, e deitou-o sobre o altar em cima da lenha.
E estendeu Abraão a sua mão, e tomou o cutelo para imolar o seu filho;
Mas o anjo do Senhor lhe bradou desde os céus, e disse: Abraão, Abraão! E ele disse: Eis-me aqui.
Então disse: Não estendas a tua mão sobre o moço, e não lhe faças nada; porquanto agora sei que temes a Deus, e não me negaste o teu filho, o teu único filho.
Então levantou Abraão os seus olhos e olhou; e eis um carneiro detrás dele, travado pelos seus chifres, num mato; e foi Abraão, e tomou o carneiro, e ofereceu-o em holocausto, em lugar de seu filho.
Gênesis 22:9-13

3o.) Não é de Deus o desejo de ser milionário. Essa foi uma das promessas do diabo a Jesus na tentação do deserto. Deus deseja que, em qualquer situação, estejamos gratos e fiéis a Ele, compartilhando e amando aos irmãos.

Se alguém ensina alguma outra doutrina, e se não conforma com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo, e com a doutrina que é segundo a piedade,
É soberbo, e nada sabe, mas delira acerca de questões e contendas de palavras, das quais nascem invejas, porfias, blasfêmias, ruins suspeitas,
Perversas contendas de homens corruptos de entendimento, e privados da verdade, cuidando que a piedade seja causa de ganho; aparta-te dos tais.
Mas é grande ganho a piedade com contentamento.
Porque nada trouxemos para este mundo, e manifesto é que nada podemos levar dele.
Tendo, porém, sustento, e com que nos cobrirmos, estejamos com isso contentes.
Mas os que querem ser ricos caem em tentação, e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, que submergem os homens na perdição e ruína.
Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.
Mas tu, ó homem de Deus, foge destas coisas, e segue a justiça, a piedade, a fé, o amor, a paciência, a mansidão.
Milita a boa milícia da fé, toma posse da vida eterna, para a qual também foste chamado, tendo já feito boa confissão diante de muitas testemunhas.
1 Timóteo 6:3-12

4o.) Somos chamados a ser seguidores de Cristo. E Jesus nunca foi rico, nem buscou ser. Quando precisou pagar um imposto, o dinheiro veio milagrosamente dentro de um peixe. Usou-se de um salão emprestado para a última ceia, andou de jumentinho emprestado, multiplicou pães e peixes que um menino trazia. Ora, se Jesus fosse rico e prezasse pela riqueza, porque diria que é mais fácil um camelo entrar num buraco de agulha do que um rico entrar no Reino dos Céus? Por que é tão difícil um rico ser salvo, segundo Jesus Cristo, mas a IURD e outras emprejas pregam a busca de riquezas? Será para mandar mais gente para o inferno?

E eis que, aproximando-se dele um jovem, disse-lhe: Bom Mestre, que bem farei para conseguir a vida eterna?
E ele disse-lhe: Por que me chamas bom? Não há bom senão um só, que é Deus. Se queres, porém, entrar na vida, guarda os mandamentos.
Disse-lhe ele: Quais? E Jesus disse: Não matarás, não cometerás adultério, não furtarás, não dirás falso testemunho;
Honra teu pai e tua mãe, e amarás o teu próximo como a ti mesmo.
Disse-lhe o jovem: Tudo isso tenho guardado desde a minha mocidade; que me falta ainda?
Disse-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, e segue-me.
E o jovem, ouvindo esta palavra, retirou-se triste, porque possuía muitas propriedades.
Disse então Jesus aos seus discípulos: Em verdade vos digo que é difícil entrar um rico no reino dos céus.
E, outra vez vos digo que é mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que entrar um rico no reino de Deus.
Os seus discípulos, ouvindo isto, admiraram-se muito, dizendo: Quem poderá pois salvar-se?
E Jesus, olhando para eles, disse-lhes: Aos homens é isso impossível, mas a Deus tudo é possível.
Mateus 19:16-26

Tenho uma amiga que, anos atrás, entregou todo o dinheiro que tinha numa Fogueira Santa da vida. O milagre não veio, e ela foi indagar para o (im)pastor. Esse lhe disse que a culpa foi que, apesar de ter dado tudo, o problema tinha sido sua “pouca fé”. E graças a esse episódio, nunca mais essa amiga entrou novamente numa igreja.

Enquanto as emprejas tiverem poder político, financeiro e midiático, nada nem ninguém interferirá em suas práticas escusas (apenas Deus). Líderes religiosos continuarão enriquecendo às custas dos fiéis, sem sequer serem incomodados pela Receita Federal.

PRINT da GUARDA MUNICIPALAdendo em 17/07: ALÔ MINISTÉRIO PÚBLICO!!! O ex-bispo Natan Silva denunciou que a Prefeitura da cidade paulista de Indaiatuba pagaria “horas-extra” para os guardas-civis que comparecem no culto da IURD de hoje. Ora, o que tem a ver o Estado com o comparecimento a cultos religiosos? Desde quando um agente público comparecer a um culto o capacita a receber salário? A quem interessa isso (uma vez que hoje também é culto de Fogueira Santa)?

E muitos se desviarão da verdadeira fé, por achar que todas as igrejas são iguais.

Deus, por misericórdia, abre os olhos do Seu povo!

Voltemos ao Evangelho puro e simples,
O $how tem que parar!

Obs.: Dá para confiar na palavra dos “demônios”?

Publicado em Igreja e igreja, Igreja e Sociedade | Marcado com , , , , , , , , | Deixe um comentário

Evangelho puro e simples em Santana do Parnaíba – 15 e 16 de julho

ibad

Imagem | Publicado em por | Marcado com , , , , | Deixe um comentário