Ainda somos colônia II

Nunca antes um logo da copa do mundo foi tão significativo. O que vemos no logo da copa 2014 é uma mão na face como em sinal de indignação e vergonha, vergonha essa que ficou expressa na tarde ontem.

Para os que achavam que não bastava a vergonha do super faturamento na construção dos nossos estádios, refletidos na realidade brasileira, o episódio de ontem demostrou que nossas autoridades não têm limites quando o assunto é envergonhar o Brasil. O futebol apresentado ontem pela seleção de futebol reflete a desorganização, a prepotência e o desrespeito de dirigentes que, diante dos altos lucros do futebol, se acham acima da verdade e da lógica.

O que vimos ontem são reflexos de uma nação que ainda não se libertou da domesticação estrangeira, pois nossa confederação de futebol caminha diante das ordens da FIFA. Nada é feito sem os cabrestos da FIFA.

Ainda somos uma colônia onde a exploração estrangeira é o grande foco. Nossos estádios superfaturados refletem que somos um povo ainda impossibilitado de reagir diante de tamanha domesticação.

A domesticação é a caracterização da perda do ânimo de lutar e buscar a liberdade. Somos um povo tratado a pão e água pelas autoridades. Isso é facilmente visto diante da nossa realidade. Somos o país com os maiores déficits educacionais, na saúde, no saneamento básico, no atraso arquitetônico e urbanista das nossas cidades. Somos uma das nações mais violentas do mundo, sem contar que nossa corrupção envergonha o país em todo o mundo.

E mesmo assim o povo ainda acredita no pão e circo da copa do mundo. Essa é a ração colocada a cada dia no coxo do povo domesticado, que não pode ser chamado de escravo, pois o escravo luta por sua liberdade a cada dia.

Quem estava nas arquibancadas dos estádios?? O povo??? O povo é assalariado, com um salário de fome, que impossibilitava a muitos estarem nos estádios. Os estádios estavam cheios da burguesia que representa os domesticados que adoram ir aos EUA transformar reais em dólares, tudo para poder desfilar suas roupas importadas.

Vergonha e tristeza, pois o resultado do jogo tem como pano de fundo uma realidade em que muitos estão alienados. Somos ainda colônia, pois ainda não somos um povo verdadeiramente livre. Somos ainda um povo cativo do capital e da cultura estrangeira. Somos domesticados pois somos incapazes de enxergar, de lutar por valores essenciais de verdadeira nação.

Paulo Siqueira

Esse post foi publicado em Igreja e Sociedade e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

3 respostas para Ainda somos colônia II

  1. Austri Junior disse:

    Amigo, desculpe-me contrariá-lo em sua interpretação da Logomarca da Copa do Mundo de 2014. Isso é algo que não gosto de fazer, mas me perdoe, eu não resisti. Esse logo representa nítidamente a união do povo brasleiro (ou se quiser: dos povos) através do futebol. “Isso” que estamos vendo são (nítidamente) três mãos segurando uma bola.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s