Manifestações no Dia da Reforma Protestante, evangélicos fazendo oração pelos mortos e agressão a pregador no Brasil

blog74Nessa semana soubemos de mais uma das contradições doutrinárias da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD): a campanha de oração pelos mortos que acontece hoje, feriado de finados.

Essa contradição doutrinária se une a muitas outras: aceitação e incentivo ao aborto (como forma de diminuir a criminalidade, segundo Edir Macedo); a necessidade de “pontos de contato” (tijolinho, rosa, água ungida, fogueira santa etc) para levar os fiéis da denominação a crerem em Deus; a ênfase na Teologia da Prosperidade, que prega que o crente precisa dar o máximo possível de dinheiro e/ou bens na igreja para que Deus retribua multiplicando a oferta em favor do crente; a construção de uma falsa réplica (pois com as dimensões propositalmente aumentadas para ser o maior marco turístico-religioso da cidade de São Paulo) do Templo de Salomão, no interior do qual haverá o túmulo do Edir Macedo, provável futuro roteiro de peregrinação e idolatria gospel. Enfim, um “evangelho” construído para agradar a plateia e lotar os templos, mas que é contrário aos ensinos verdadeiramente cristãos.

Manifestação no Rio de Janeiro comemorando o Dia da Reforma Protestante

Manifestação no Rio de Janeiro comemorando o Dia da Reforma Protestante

Se hoje há evangélicos orando pelos mortos, como se isso pudesse mudar seus destinos, no dia 31 de outubro havia evangélicos que sequer sabiam que em tal data se comemora também o Dia da Reforma Protestante. Aliás, muitos evangélicos nem sabem que a origem de suas denominações provem da luta incansável dos Reformadores e de homens e mulheres que sofreram perseguições e até mortes horríveis por se recusarem a aceitar o modelo cristão vigente na época, tão contrário às Escrituras como o que vive atualmente uma parte das igrejas no Brasil e no mundo.

Lembro que há alguns anos peguei um táxi e o motorista era um rapaz jovem, que deixou uma pequena Bíblia aberta estrategicamente em frente ao banco do passageiro. Ao ver aquilo, perguntei: “você é protestante?”, e testemunhei a expressão de surpresa do taxista. “Protestante?”, “sim, quero dizer, você é evangélico?”, “ah, sim, eu sou evangélico!”

Muitos pararam para conversar com o pessoal que se manifestava no Rio.

Muitos pararam para conversar com o pessoal que se manifestava no Rio.

Sabe porque hoje, quase quinhentos anos depois que Lutero afixou as teses, muitas igrejas evangélicas estão repetindo os mesmos erros da igreja cristã da época? Porque os evangélicos não conhecem sua própria história. Se a conhecessem, rechaçariam muitas doutrinas estranhas atuais. Aliás, se simplesmente lessem a Bíblia com entendimento do texto, essas doutrinas não teriam lugar nas igrejas.

Há 3 anos comemoramos o 31 de outubro de uma forma diferente: saímos pela madrugada afixando a Declaração de Cambridge na porta de alguns templos de denominações que precisam voltar ao ensino do verdadeiro Evangelho. Neste ano não foi diferente aqui em São Paulo, e ainda houve uma bela manifestação nas ruas do Rio de Janeiro por conta dos irmãos que lá residem.

Afixando "teses" nos tapumes do Templo de Salomão (os seguranças chegaram logo em seguida)

Afixando “teses” nos tapumes do Templo de Salomão (os seguranças chegaram logo em seguida)

A novidade neste ano foi a grande presença de seguranças ao redor dos templos da IURD. Realmente eles devem ter muito a temer.

A triste – ou alegre – notícia vem de Belo Horizonte (MG), pois o irmão Arlen, que há anos prega nas ruas da capital, foi vítima de agressão por parte de alguém que não gostou do que estava sendo pregado. A alegria fica por conta de sabermos que o passar por tribulações por defender o Evangelho faz parte da vida dos verdadeiros cristãos, e sabemos que, conforme a vontade soberana de Deus, o hoje agressor poderá vir a se arrepender e ser salvo.

Glorifico a Deus pela vida de todos e todas que, mesmo de forma anônima, fazem sua parte na divulgação do verdadeiro Evangelho. E minha oração é para que mais e mais sejam acrescentados nessa difícil seara, pois os tempos são maus.

Afixando "teses" em frente à antiga sede da Renascer (a que desabou) em São Paulo

Afixando “teses” em frente à antiga sede da Renascer (a que desabou) em São Paulo

Voltemos ao Evangelho puro e simples,
O $how tem que parar!

Anúncios
Esse post foi publicado em Igreja e igreja, Igreja e Sociedade, nova reforma e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s