“Mórris” Cerullo

Consegui resistir por dois dias e nada dizer sobre mais uma profetada de Malafaia e Morris Cerullo. Como uma pedra que clama, não posso deixar de dar minha opinião.

Primeiramente, é preciso destacar que o Brasil tem muitos servos e servas de Deus, prontos para serem instrumentos dEle e trazer ao nosso país as direções e a Palavra de Deus.

Foi-se o tempo em que americanos chegavam ao Brasil com mais uma de suas verdades. Já houve muitas bênçãos, porém os grandes modismos e despertar de novas teologias muitas vezes heréticas vêm da chegada de pregadores americanos.

As grandes influências das teologias pentecostais e neopentecostais vêm de viagens de muitos pastores brasileiros aos EUA, influências essas que hoje são percebidas nas mudanças teológicas de muitos pregadores e de muitas denominações.

Isso é facilmente percebível principalmente nos televangelistas, em especial nos de contexto pentecostal e neopentecostal. A teologia da prosperidade é fruto de muitas viagens e muitos contatos vindos dessas viagens.

Para destacar tudo isso, é só observar as mudanças ocorridas com o telepregador Silas Malafaia. Nas décadas de 80 e 90, Silas era um evangelista, um missionário que a muitos encantou com sua intrepidez e até com sua teologia. Porém, bastou o Silas partir para os EUA e descobrir a teologia da prosperidade, e também ver a prosperidade da igreja americana, que logo seus discursos e pregações tomaram novos rumos.

Hoje, Silas Malafaia é o exemplo vivo das transformações impostas pela teologia da prosperidade, pois a busca hoje é pelo poder. A igreja Assembléia de Deus está para completar seu centenário, centenário esse após a evangelização de dois missionários americanos, vindos da Assembléia de Deus americana, quando ainda se pregava o Evangelho puro e simples. No decorrer desse século, a igreja se dividiu em diversas faces, chegando nos dias de hoje como uma miscelânea de nomes e líderes.

Não sei como conseguem, aos sábados, apresentar os diferentes programas de tv, com seus diferentes líderes, mas todos empunhando a bandeira da Assembléia de Deus. E agora, também, o sr. Silas fundou sua Assembléia, pois não basta ter prosperidade sem poder. Seguindo a linha tradicional da Assembléia, onde pastoreio é de pai para filho, Silas quebra seu vínculo com a liderança das Assembléias e funda a Assembléia de Deus Vitória em Cristo, que já nasce com a promessa de 1.000 templos nos próximos anos, firme e poderosa.

São muitas coisas acontecendo ao mesmo tempo, mas tudo denota que Silas aprendeu muito bem as lições da igreja americana. Fácil, com isso, entender o porquê da noite para o dia Silas utilizar em seus programas pregadores americanos já “famosos” em seus chavões “evangelísticos”.

Com isso, é fácil entender de onde surge Morris Cerullo e outros, que aí estão e que virão. Pastores já antigos, velhos conhecidos em espalhar suas teologias extravagantes. Dá-se a impressão de que o mundo espiritual parou e que eles são o último contato entre Deus e a terra, uma mistura de prepotência, super-poderes, mas que só se sobressai sobre a ignorância daqueles que os ouvem.

Como acreditar em uma profecia que diz que Deus não ouve as necessidades de um povo? Como acreditar em uma profecia de tamanha urgência, como a trazida no último sábado, que exclui um Deus misericordioso, que por amor e Graça, e de graça, abençoa um povo?

Estabelecer um valor financeiro para uma bênção espiritual é uma grande estupidez para com todos aqueles que servem a Deus nesse país. O sr. Silas, com sua ganância, não só por prosperidade mas também pelo poder, de ser o maior estadista gospel desse país, atira para todo o lado, mas se esquece de que não dormitará o Guarda dessa nação.

Há ainda teólogos e teólogas, irmãos e irmãs, que ainda sustém essa terra com oração e edificação da Palavra de Deus. O Evangelho puro e simples ultrapassa os limites das heresias e das buscas desenfreadas pelo poder.

Em muitos anos, precisamos e fomos apoiados pela igreja americana, e ainda acreditamos em muitas pedras que ainda clamam nos EUA. Porém, não precisamos mais do lixo gospel vindo dos EUA. Queremos deixar claro que mesmo nos dias dos verdadeiros profetas, suas profecias tinham que ser provadas nos corações daqueles que as ouviam.

Brasileiros e brasileiras cristãs, acordem e se despertem para o verdadeiro Evangelho de Cristo, que não se fundamenta em bênçãos financeiras ou não, mas que se fundamenta no caráter e na busca contínua da edificação de homens e mulheres na estatura de varão perfeito, que é Cristo Jesus.

A igreja brasileira já cresceu. Pena que Silas e seus amigos americanos não perceberam que muitos aqui já deixaram de ser levados por qualquer vento de doutrina.

Voltemos ao Evangelho puro e simples. O $how tem que parar.

Maranata! Vem Jesus!

Esse post foi publicado em Igreja e igreja, Igreja e Sociedade e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para “Mórris” Cerullo

  1. Pingback: A maldita teologia da prosperidade « Blog Breno Custódio

  2. José Ribamar disse:

    é, também acho que tá na hora de nós, os cristãos, avaliarmos que tipo de evangelho estamos ouvindo e pregando. qual evangelho estamos dando crédito? o que nos prepara para irmos para o céu ou o que nos prepara para ficarmos aqui, acumulando “tesouros” corruptíveis?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s